domingo, 25 de fevereiro de 2018
COMO LIMPAR E PURIFICAR CRISTAIS

COMO LIMPAR E PURIFICAR CRISTAIS


Os que me seguem mais assiduamente já devem ter reparado, principalmente nos insta stories que menciono muito os meus cristais.
Aos poucos tenho recebido cada vez mais perguntas sobre eles, tarot, defumação da casa...tópicos que vou cobrir a partir de agora por esta bandas.
Para hoje, trago-vos as formas mais simples de limpar cristais.

1) Salva Branca - é a minha forma favorita de purificar a casa e também os meus cristais. Podem usar incensos (alguns são mais indicados do que outros) mas a salva branca não tem nada que enganar. Basta acenderem e deixarem o fumo passear sobre os vossos cristais. Eu costumo colocar a salva branca na mão esquerda e uso a mão direita para ir rodando os cristais por cima. Se estiverem com mais pressa, podem passar a salva branca em círculos sobre o vosso altar, ou o local onde guardam os vossos cristais.

2) Palo Santo - funciona da mesma forma que a salva branca ou o incenso mas tem um cheiro bem diferente. Parece-se como uma tira de madeira que podem comprar em lojas esotéricas, feiras medievais ou online.

3) Selenite- alguns cristais têm propriedades purificadores, que anulam as energias negativas e ajudam os restantes a restaurar as suas propriedades. No caso da selenite, ela funciona como um purificador automático: mantenham uma junto dos vossos cristais e eles estarão sempre limpos. Eu mantenho uma na minha mesa de cabeceira junto dos cristais que me ajudam no sono. Assim não tenho de me preocupar em limpá-los, a selenite mantem a energia de cada um equilibrada.

4) Sal - alguns de vocês já devem ter visto que há muita gente a recomendar mergulhar os cristais em água com sal. Na verdade não sou muito fã desse método porque os cristais podem ficar danificados neste processo mas se realmente gostam de usar sal para purificar os vossos cristais, aconselho-vos o seguinte: numa taça maior coloquem o sal grosso com água, depois dentro da taça coloquem um recipiente mais pequeno, imaginem um copo ou chávena de café, e nela podem deitar o cristal. Assim ele fica separado da água, dentro do recipiente mais pequeno, protegido de qualquer contacto. Não é por isso que a água e o sal deixam de fazer o seu trabalho de limpeza, porque o cristal continua rodeado deles.
Pessoalmente, prefiro utilizar recipientes de vidro mas também podem usar de metal.

5) Visualização - neste processo vocês usam a vossa energia para visualizar uma luz branca rodeando os vossos cristais. Primerio têm de focar a vossa mente, libertarem-se de pensamentos, e visualizarem a luz branca envolvendo os cristais

6) Enterrar (em sal ou na terra) - para quem tem quintal ou plantas em casa, esta pode ser uma boa opção. Podem também colocar os cristais dentro de um recipiente com sal seco mas pessoalmente prefiro usar a técnica dos dois recipientes (um grande e outro pequeno) para evitar o contacto entre o sal grosso e os cristais.

5) Luar - este é o processo que aprendi primeiro, há alguns anos. Em casa dos meus pais a minha janela dava para uma varanda partilhada pelo andar, então eu escondia os criatais  atrás dos vasos das plantas esperando que pudessem recarregar energias com o luar. Idealmente, escolham noites de lua cheia e deixem os cristais ficar ao luar até de manhã.

Existem mais formas de recarregar os cristais, nomeadamente através do som, de velas e mesmo do sol. Mas os cinco processos que mencionei acima  são os que mais utilizo e recomendo.


terça-feira, 13 de fevereiro de 2018
Comer no TOPO com Lisboa

Comer no TOPO com Lisboa



Ultimamente tenho dado por mim como turista na minha própria cidade. Ando a fazer muitas descobertas e parece que em cada rua á uma nova esquina.
Descobri uma que vale a pena: mesmo ao descer das escadas do Largo do Carmo, sob uma vista panorâmica dos telhados lisboetas, fica o restaurante TOPO.



Feito o convite, fui num dia ventoso experimentar o brunch no TOPO com a minha colega Daniela Schwanke do See You Mag.

É óbvio que o a primeira impressão que temos é o vento, se for o caso de um dia como aquele que apanhámos. Mas fomos rapidamente socorridas de mantas, porque o restaurante já as fornece sabendo como isso facilita a nossa estadia na esplanada.
Servido o menú do brunch, escolhi um sumo natural, chá quente, croissant brioche, panquecas, brucheta de salmão braseado com sumo de lima, ovo benedict, iogurte natural com granola, taça de frutas e, por fim, um brownie de chocolate.




Aconselho-vos as bebidas quentes para o Inverno, porque com a manta e a vista, até ajuda a aquecer a alma. Provei os ovos molhados que a Daniela escolheu mas preferi mais do meu ovo benedict. Foi especialmente bem servido em cima de duas fatias de pão, abacate, e duas tiras de bacon por cima. Ao cortar o pão, o ovo desfez-se exactamente como se quer - digno de um closeup, com a gema amarela a escorrer sobre as fatias de pão.





A brucheta de salmão braseado não ficou muito atrás. É um pouco mais leve, mas rica em sabor.
O brownie de chocolate foi guardado para o fim, fizemos dele a sobremesa - é possível termos sobremesa num brunch? Se sim, o brownie é a escolha ideal. Ele vem na forma de um cubo espesso, e bem doce. Por cima, um molho de caramelo salgado para equilibrar os sabores na boca. Se não são fãs de brownies, têm sempre panquecas. Elas são servidas em pequenas porções e acompanhadas de mel, manteiga ou doce, ao vosso dispor em cima do tabuleiro.




O brunch custa 17€ e vem com várias opções, para mim, servidas em óptimas quantidades. Se forem como eu, até dá para dividirem tudo por dois e a experiência sai-vos pela metade. Fica a dica.





















Vídeos

ACOMPANHA-ME NO YOUTUBE